Água na Boca - New Talent

Água na Boca

Maria Lopes

26 anos

Algarve

Produtora

Maria Lopes tem 26 anos e nasceu em Lisboa, onde viveu a maior parte da vida. Passou parte da adolescência em Faro e mais tarde morou também no Porto. Começou a trabalhar cedo e a sua paixão sempre foi planear e produzir momentos de diversão. Formou-se e trabalhou em produção de eventos e envolveu-se em projetos de vários tipos: feiras, festas e festivais. Nos últimos anos teve a oportunidade de co-criar um projeto chamado Anjos70, uma associação cultural no centro de Lisboa. Onde, para além de vice-presidente, foi programadora cultural, geriu o projeto e staff, entre outras coisas que exigiam a sua constante criatividade. Depois de 2 anos de trabalho árduo e sentir que a sua missão no projeto estava concluída, decidiu fazer uma pausa para embarcar na viagem da sua vida pela América do Sul. Houve sempre em si a vontade de conhecer novas culturas e modos de vida. Fez voluntariado, trabalhou no campo, conheceu comunidades e cresceu como ser humano. Agora de regresso a Portugal, decidiu que quer recomeçar e lançar os seus projetos no Algarve.

O que faria com 10 mil euros?

Passados 7 meses da minha viagem pelo Sul da América, somos abordados por uma pandemia mundial, o que me fez parar e refletir durante 3 meses. Por um lado, foi importante parar, percebi que voltar a Portugal era a melhor decisão, mas que ao mesmo tempo a minha área de trabalho era uma das que estava mais afetada e estagnada. A viagem, no entanto, trouxe-me novas paixões e a grande vontade de começar a fazer artesanato e trabalhar com as mãos. Aprendi crochet e comecei a fazer as minhas peças. Decidi fazer um editorial caseiro e o feedback foi excelente. Daqui nasce “Água na Boca”, uma marca com diversas vertentes, mas uma só visão: recuperar e preservar técnicas ancestrais de uma forma sustentável, tanto a nível ambiental como cultural. Num mundo saturado de produção e poluição, apenas faz sentido para mim usar matérias recicladas e recicláveis. Água na Boca é artesanal, inclusiva e promove a mão de obra local. Com este incentivo monetário conseguiria investir em materiais para criar as primeiras coleções, alugar um espaço de trabalho com respetivas maquinarias e ferramentas e também contratação de mão obra. Com o crescimento da marca, quero fazer mais parecerias com produtores locais e também apoiar associações carenciadas, envolvendo-as no projeto, desde a sua criação até à distribuição dos lucros.

Os meus trabalhos

1ª Campanha

1ª Campanha

Peça de roupa, 2020

2ª Reportagem

2ª Reportagem

Reportagem vídeo, 2020

3º Programa

3º Programa

iniciativa, 2020